Primeiro Contato – Kuroko no Basuke

Dê uma nota para o primeiro episódio: 
2 votes, average: 4.50 out of 52 votes, average: 4.50 out of 52 votes, average: 4.50 out of 52 votes, average: 4.50 out of 52 votes, average: 4.50 out of 5 (2 nota(s), média: 4.50 de 5)
Você precisa estar logado no site para dar uma nota.
Loading ... Loading ...
5 (Ótimo)
Primeiro Contato – Kuroko no Basuke

A matéria de hoje da “Primeiro Contato” é sobre um anime que foi tema da minha primeira matéria no site: Kuroko no Basuke. Como eu disse anteriormente eu tinha grandes expectativas para esse anime, já tinha lido um pouco do mangá e gostei muito, pois então, eu posso dizer que de fato o anime superou minhas expectativas. Vamos ver por que.

Kuroko no Basuke tem como plano de fundo a história do lendário time de basquete da escola Teiko, um clube com mais de cem membros e três vitórias consecutivas em campeonatos. Os cinco titulares desse time eram considerados prodígios com habilidades tão incríveis que eram chamados de “Geração dos Milagres”. Mas havia um estranho boato de que tinha uma pessoa que até mesmo os cinco prodígios da “Geração dos Milagres” reconheciam como um jogador superior, o “sexto jogador fantasma”.

É nessa premissa que temos Kagami Taiga e Kuroko Tetsuya, dois calouros que se inscrevem para o time de basquete da escola secundária Seirin, o primeiro é um garoto recém chegado de uma escola americana e que parece ter um talento natural para basquete, ao passo que o segundo é, até então, um garoto que passou por ali despercebido e deixou uma ficha de inscrição, a única coisa que se sabe sobre ele é que ele fez parte do time de basquete da escola Teiko, sendo assim integrante da lendária “Geração dos Milagres”. É chegada então a hora do primeiro treino, que na verdade é apenas uma avaliação física feita pelos olhos treinados da treinadora do time, que para surpresa de todos os novatos é Aida Riko, uma garota do segundo ano que é filha de um treinador de atletas e adquiriu a habilidade de analisar os corpos de atletas apenas com os olhos e ver suas habilidades físicas em números. Como já era de se esperar Kagami apresenta um preparo físico bem acima do padrão, já Kuroko – que ninguém percebeu que estava ali até o momento em que ele se manifesta – não tem preparo físico algum e não apresenta nenhuma característica de um bom jogador de basquete. Como poderia esse garoto ter sido titular num time como o da escola Teiko?

Mais tarde no mesmo dia Kuroko encontra Kagami praticando na quadra e é desafiado para um jogo mano-a-mano e, como era de se esperar, Kuroko é derrotado facilmente. O garoto não tem habilidade alguma, seja em dribles ou em arremessos, o que deixa Kagami irritado a ponto de dizer a Kuroko que ele deveria largar o basquete. Já no segundo treino é organizado um amistoso entre os titulares e os novatos, liderados por Kagami, que abre o jogo com uma enterrada incrível. Os novatos estão na frente por três pontos, até o momento em que os titulares resolvem jogar sério. Kagami, agora marcado por três jogadores ao mesmo tempo, fica impossibilitado de receber a bola, acabando com a vantagem do time dos novatos. Só se percebe que Kuroko está no jogo por causa da sua falta de habilidade, perdendo a bola inúmeras vezes, e quando Kagami perde a paciência, quase batendo no garoto. O jogo parece perdido para os novatos, até que Kuroko pede um passe, mas a bola passa por ele sem interferência alguma do time adversário e chega ao jogador posicionado alguns passos atrás dele, e é nesse momento que a treinadora percebe uma coisa importante. Kuroko estaria diminuindo mais ainda a sua falta de presença, direcionando a atenção dos adversários para outro ponto para poder fazer passes sem ser percebido. Ela então se lembra do titular “invisível” da “Geração dos Milagres” que era especialista em fazer passes, o “sexto jogador fantasma”, Kuroko Tetsuya. Com Kuroko agora usando suas verdadeiras habilidades os novatos conseguem virar o jogo e vencer os titulares.

Mais tarde numa conversa com Kuroko, Kagami decide derrotar cada um dos cinco prodígios da “Geração dos Milagres” e se tornar o melhor jogador do Japão, o que Kuroko diz ser impossível com o nível atual de suas habilidades. Kuroko então diz que a “Geração dos Milagres” se separou e cada um de seus componentes foi para uma escola secundária diferente, e que apenas uma dessas escolas ficaria no topo com o título de melhor time de basquete, logo o garoto diz que ajudará Kagami a derrotar os seus antigos companheiros de time e se tornar o melhor jogador do Japão.

“Eu sou uma sombra. Mas quanto mais forte a luz, mais escura será a sombra, e isso acentuará ainda mais o brilho da luz. Eu serei a sombra da sua luz e farei de você o melhor jogador do Japão.”

Assim termina o primeiro episódio de Kuroko no Basuke que, se não foi a melhor adaptação animada de um mangá que eu já vi na minha vida, foi a mais fiel ao material original. Quem já leu o mangá identifica facilmente cenas e diálogos que são exatamente iguais aos originais, o que é um ponto positivo, pelo menos na minha opinião. A animação ficou muito boa, principalmente nas cenas de partidas, dando ênfase para os passes de Kuroko e uma coisa que sempre é bonito de se ver em animes de basquete, o arremesso. Na cena da partida entre os titulares e os novatos eu pensei estar vendo um jogo de verdade, tão realista e empolgante era a animação, e aquele passe de costas que o Kuroko dá para o Kagami enterrar, na abertura do anime realmente me deixou de boca aberta. O design dos personagens, feito por Yoko Kikuchi, é muito bom e bem realista, coisa que o gênero pede. Uma coisa interessante é que se mantiveram as hachuras em algumas sombras, como a projetada no pescoço pelo queixo, e em algumas linhas de expressão, o que deixa a arte ainda mais próxima da do mangá.

Os personagens são bem interessantes, com personalidades bem singulares, Kagami Taiga com seu jeito de durão e sua personalidade explosiva, contrastando com a introversão de Kuroko e seu jeito “invisível” de ser, e também tem a treinadora do time Aida Riko que é obcecada por esportes – por atletas, mais precisamente – coisa que ainda não ficou muito clara no primeiro episódio, mas esperem e verão. Essa singularidade dos personagens leva a situações interessantes e algumas até engraçadas, como a cena em que Kagami senta numa mesa de lanchonete para comer e só percebe muito depois que Kuroko já estava sentado ali. A dublagem ficou muito boa e a soundtrack ficou interessante, mas nada que se sobressaia no anime, a animação de abertura é incrível e o encerramento é bem mainstream mesmo, não quer dizer que seja ruim, só é uma coisa bem comum. O diretor Shunsuke Tada, que já tem experiência com esportes por ter sido o diretor de alguns episódios e OVAs de The Prince Of Tennis, fez um ótimo trabalho aqui, isso não dá pra discordar.

Bom pessoal, eu sou meio suspeito pra falar, por que eu sou apaixonado por basquete, mas eu realmente acho que Kuroko no Basuke pode ser o melhor anime da temporada, tanto pela fidelidade ao mangá quanto pela belíssima animação nas cenas de ação (partidas) e os personagens tão bem desenvolvidos. É um anime que vale muito a pena acompanhar e que com certeza vai fazer sucesso, não só entre os fãs de basquete. E aí pessoal quem já viu o anime aí? O que acharam? Alguém também gostou da jogada do Kuroko e do Kagami na abertura? Alguma outra jogada que vocês gostaram? Não deixem de responder nos comentários. E, novamente, quem não viu corre pra ver que é coisa boa!

Gostou do texto? Curta nossa Fanpage!

8 Comments

  1. cheffercs says:

    de todos os novos animes dessa temporada esse surpreendeu, foi o melhor até agora, isso que eu não colocava muita expectativa.

    Reply
  2. POW ME APAIXONEI POR ESSE ANIME FODASTICO,ENTROU PRA MINHA LISTA DE MELHORES ANIMES E TA NA FRENTE D INAZUMA [NA MINHA LISTA]

    Reply
  3. isaac says:

    tambem gostei muito nao tava nem pensando em asistir mais resolvi da uma conferida e adorei

    Reply
  4. ryssa kt says:

    MUITO BOM! esse anime da Jump vai ser um dos melhores dessa temporada de abril, na minha opinião !! p/ quem curte esporte, basquete, ou p/ quem está procurando animes de boa qualidade, aqui vai a sugestão: assistam. Falando na Jump, Medaka Box tb gostei bastante!
    eu estava bem desanimada, já que 2 animes (meus favoritos) acabaram: (Bleach e Gintama).. mas assistindo o 1o epi. de Kuroko no Basket, tudo mudou!!

    Reply
  5. Ryu Nakamura says:

    mto bom Kuroko no Basket, eu q nao gosto mto de Basket adorei o anime e acho q vai se um dos melhores do ano(sério gostei msm) e a abertura mto boa e tbm achei mto foda akele passe de costas do Kuroko pro Kagami

    Reply
  6. Slayra says:

    até eu, que não gosto muito de animes sobre desporto, adorei o anime
    eu não gosto de desporto em geral, e ver um jogo, do que quer que seja para mim é um sacrificio!
    mas nao neste anime! quanto eles jogam eu vibro como se estivesse lá no campo com eles!

    Reply
  7. PAulo Vinícius says:

    oi pessoal estou acompanhando o anime e tenho que confeçar que me surpreendi, na verdade eu não ia assistir mais meu irmão mais novo viu alguns epsodios e pediu que eu desse um aolhada tenho que confeçar que tenho grandes espectativas nesse anime um 3d senssacional e muito bem aplicado sem parecer tosco, quando mesclado com o desenho sem contar a qualidade otima da produção e parabéns pela materia muito clara so deixou a desejar na objetividade mas isso não tira o ônus do escritor, que está realmente de parabéns.

    Reply

Trackbacks for this post

  1. Analisando Estréias: Kuroko no Basket | Yokai Info

Leave a Comment

2011-2014 .::. Top10animes. Política de Privacidade | DMCA (English).
 "Um filme só é bom quando, este, depois de 20 ou 30 anos ainda mexe com as pessoas que o assistem" - Hayao Miyazaki